top of page
  • Foto do escritorCequale

Desafios da Acreditação na Saúde

Hoje vamos ver sobre os desafios da Acreditação na Saúde, mas não só a nível Brasil e sim também internacional. Quais as questões que tem se falado na Acreditação e até mesmo sobre a Acreditação no futuro, será que o modelo que utilizamos hoje, ainda se pode manter ou é necessário mudar nos anos que estao por vir. Vamos lá?


Sabemos que o grande objetivo da Acreditação é transformar o setor saúde e agregar para quem está lá. E fazer com que o paciente que é o usuário final tenha a percepção de segurança.


A Acreditação tem o propósito de levar um modelo de gestão efetiva para dentro das organizações, e de melhorar os seus processos de forma contínua. Então se olharmos toda a jornada da Gestão da Qualidade, podemos nos questionar:


  • Por que trazemos avaliações externas para dentro das instituições?

  • Por que trazemos a acreditação?

  • Por que buscamos a Acreditação?




A resposta é simples: Porque queremos mudar as instituições de forma contínua, queremos estabelecer um padrão onde ainda não tem um padrão.


Buscar um modelo que nos traga métodos e ferramentas para que possamos de fato, organizar a instituição, padronizar os processos, ter um modelo de gestão e que consiga então não atingir apenas um status ou resultado diferente do que temos no momento, mas também que possa ser uma mudança de cultura verdadeira para as organizações.


Quando falamos da Acreditação que é a avaliação externa e se pensarmos na auditoria onde temos: auditoria de primeira parte, segunda parte e terceira parte. A avaliação externa seria aquela que chamamos de terceira parte, onde temos um grupo de profissionais que são externos a minha organização e que vem avaliar a minha organização para ver se ela está atendendo ou não um conjunto de padrões.


Só que a avaliação externa precisa ser útil para a organização, tem que trazer utilidade, tem que trazer oportunidade, trazer confiabilidade nesse processo, porque ela envolve todas as partes interessadas.


Então ela está envolvendo ali desde a alta administração, os profissionais que estão lá no processo, líderes dos processos e inclusive os usuários que são os paciente. Bem como investidores, órgão reguladores, como o Ministério da Saúde por exemplo. Todas as partes interessadas estão sendo envolvidas e comprometidas nesse processo.


Se formos pensar os motivos para qual nos submetemos à uma avaliação externa, é justamente para entender como a organização está. E a partir de um relatório que independente de quem irá avaliar se aquela instituiçao está atendendo por exemplo os padrões e requisitos da metodologia ONA.

Então à partir do momento em que o grupo de avaliação externo emitem um relatório, esse relatório serve para a tomada de decisão daquela organização que foi avaliada. Por que vai ser e deve ser um relatório objetivo que traga de fato a realidade da organização, que traga a confiabilidade para que a instituição possa analisar o que está sendo entregue para que de fato seja usada para a tomada de decisão.


*Conteúdo retirado da palestra apresentada na Jornada de Gestores de Alta Performance por Gilvane Lolato


E aí, gostou do conteúdo? Então você precisa ver a Jornada de Gestores de Alta Performance do Cequale, onde foi apresentada esta palestra e muitas outras. Clique aqui.


Não se esqueça também de nos seguir e acompanhar no Instagram: @cequalecursos


Nos vemos na próxima! ;)

Posts recentes

Ver tudo

Habilidades Técnicas de um Enfermeiro Líder.

Para um Enfermeiro exercer o seu papel fundamental como líder é necessário que tenha certas habilidades técnicas, saiba quais são elas, se você deseja seguir no caminho da gestão em enfermagem. 1 - Ca

bottom of page